Chega um dia
 Em que percebemos de forma clara
O caminho por nós percorrido.

Nas nossas vestes percebemos
Poeira  das casas em que moramos.

Em nossos ouvidos
Ao fundo ainda se ouve
As licões dos pais
E dos professores.

Em um cantinho
Iluminado do coração
Estão os retratos
Daqueles que partiram
E não mais vivem
Em nossos corredores…

Em nossa pele
Notamos fragmentos
Do que foi nossa infância,
Pois tem gosto de algodão doce
De todos os sabores.
É a vida,
E não importa
A direção e a distância
Para onde vamos,
Tudo isso vai  conosco
Como algo indispensável,
Tal qual as bases de um edifício,
Daquilo que nos tornamos…

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: