O rio por onde corre a mágoa
É um rio cheio de espinhos
E habitado por monstros,
Que mastigam o magoado sem engolir
E quando foge dos monstros
Os espinhos se põem a ferir.
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: