Do amor e do sexo

Não fazemos amor,
O amor não é algo a ser feito
É algo pronto,
Está em tudo
Que encanta,
Está no pôr do Sol,
Em uma flor.
Na voz de um pássaro
Que canta,
Está na luz
De noite enluarada
É um estado de espirito
Inalcançável a explicação.
O amor não coloniza
Nem privatiza o outro,
Não é latifundiário,
O amor se basta,
Não possui ambição,
Não possui nada,
Pois possuir é nada ser
E o amor é tudo.
O que fazemos é sexo,
Apelação animal da carne,
Tirania do Gene,
A violência da invasão,
Da irrupção
Em busca de continuidade.
O amor não invade,
Não é carne com carne,
O amor é tão simples e leve
Que amamos sem perceber.
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: