Do morto e do vivo

Scroll down to content
O normal na vida é já nascer morto,
Um natimorto assassinado ainda no ventre
Pelas tradições,
Pelos dogmas,
Pela mesquinhes dos costumes.
E mesmo morto ser condenado
A escravidão de futuras convicções.
Poucos nascem vivos nessa aventura;
Mais raros ainda,
Os que nascem com os olhos abertos.
E esses poucos
Mesmo estando vivos,
Nascem condenados
A apanhar dos mortos
E passarão a vida ouvindo clamores como:
Desigual, tolo, louco, maldito libertário!
Saiba que o Cemitério Terra
Não é morada de vivos,
Mas o descanso não descansado de mortos…
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: