Queria tanto te esquecer,
Apagar-te de minhas linhas,
Mas cada vez que tento este intento
Acabo desaparecendo junto contigo,
Pois já não sei mais onde em mim
Tu começas e onde minha alma termina.
Queria tudo diferente
Sem longe nem perto
Sem oásis, sem deserto,
Apenas eu e tu
Juntos n’algum ponto
Tendo apenas o céu como teto.
Queria não sentir a ausência
De teu calor e nem o
O vazio de tua ausência.
Queria não sentir saudade,
Essa dor dilacerante que o peito invade,
Angustia pungente
Que me reduz à metade… 
Queria não conhecer a angústia
Que emudece meu peito
E faz afogar-me em meu próprio
Pranto contido
Que se derrama por dentro
E inunda minha alma,
Que incerta e cambaleante
Trafega pela vida
Em suas vias escuras
A procura de tua luz e calor
Para aquecê-la…
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: