Jardins dos loucos

Scroll down to content
Na vida
Tenho dúvidas
A que vim,
Mas tenho certeza
Que bem lá no fim
O viver verdadeiramente
Reduz-se a uma simples loucura.
Louco,
Simplesmente louco
Torna-se aquele
Que ouve com os ouvidos de ouvir;
Enxerga com olhos de ver
E sente na alma
O verdadeiro sentir…
Sou são!
Grita o medíocre
Que nunca escutou o próprio silêncio;
Que nunca enxergou em um espelho
O reflexo de si mesmo;
Que nunca se sentiu;
Que nunca se encontrou,
Pois há medo em seu olhar…
A loucura está
Onde está a audácia
E a audácia
Está em enfrentar o medo,
O medo simples
De viver intensamente
A noção de si mesmo.
EU SOU!
Diz a loucura
Ao próprio louco
Ante o espelho.
ENTÃO SEJAS!
Diz o louco
A própria loucura
Enquanto as flores
Tornam-se mais coloridas
E o canto dos pássaros mais afinado
Nos jardins que circundam
A casa onde vivem entrelaçados

A loucura e o próprio louco…

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: