Portas da alma

Meus olhos aprenderam
E ensinaram-me
O idioma da chuva
E a música do pôr do Sol,
São intérpretes
Daquelas lindas e pequeninas flores
Que teimam em nascer entre as pedras
A dizerem que tudo é possível
Quando se tem uma determinação.
Meus olhos,
Meu olhar,
Portal de minha alma,
Alfandega de meu coração,
Quando precisam me poupar
Das cruezas da vida
Apresenta-me uma miragem,
Uma ilusão.
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

%d blogueiros gostam disto: