Pensamentos e reflexões de Davi Roballo e outros autores

Você é quem constrói os obstáculos do próprio caminho…

Scroll down to content
Spread the love

ARAME.jpg

Às vezes, dúvidas, inseguranças, medos ou ansiedade em face do fracasso nos impedem de avançar. São esses pequenos medos que se tornam grandes obstáculos no nosso caminho para o que realmente queremos. Com eles, não fazemos nada além de tropeçar e ficarmos convencidos de que, o que quer que façamos, falhamos.

Isso nos torna obsessivos com as possíveis pedras da estrada, em vez de reconhecer tudo o que temos viajado. Isso nos leva a pensar mais sobre as ameaças que podem aparecer do que as possibilidades que se abrem diante de nós. Nos deixamos levar por nossas inseguranças, em vez de nos concentrar em nossos pontos fortes.

Somos a nossa maior ameaça em termos de alcançar nossos objetivos.

Jorge Bucay , em sua maravilhosa história intitulada “Obstáculos”, nos fala sobre essa mania de nos prejudicar. Espero que você goste da história e dos pensamentos sobre isso.

Obstáculos, uma história de Jorge Bucay:

“Estou caminhando no caminho. Eu deixo meus pés me levarem.

Meus olhos descansam nas árvores, nos pássaros, nas rochas. No horizonte, a silhueta de uma cidade é cortada. Afiro meu olhar para distingui-lo bem. Sinto que a cidade me atrai.

Sem saber como, percebo que nesta cidade posso encontrar tudo o que quero. Todos os meus objetivos, meus objetivos e minhas conquistas. Minhas ambições e meus sonhos estão nesta cidade. O que eu quero alcançar, o que eu preciso, o que eu mais gostaria de ser, o que eu aspirei, ou o que eu tento, pelo que eu trabalho, o que eu sempre sonhei, quais seriam os maiores dos meus sucessos.

Imagino que está tudo naquela cidade. Sem hesitação, comecei a caminhar em sua direção. Pouco depois de caminhar, a trilha é subida. Eu me canso um pouco, mas não me importo.

Eu continuo Vejo uma sombra negra, mais tarde na estrada. Ao me aproximar, vejo que uma enorme vala me impede do meu passo. Eu tenho medo… eu duvido. Estou com raiva porque não consigo alcançar meu objetivo de forma simples. De qualquer forma, eu decido pular a vala. Eu dou um passo atrás, tomo impulso e pulo… Eu consegui passar. Eu me recupero e continuo andando…

A alguns metros à frente, aparece outra vala. Eu lanço a corrida novamente e também pulo. Eu corro para a cidade: a estrada parece clara. Estou surpreso com um abismo que aparece meu caminho. Detenho-me. Impossível saltar.

Vejo que, de um lado, há madeira, pregos e ferramentas. Eu percebo que o material está lá para construir uma ponte. Nunca fui hábil com minhas mãos… Eu penso em desistir. Eu olho para o objetivo que eu quero… e resisto.

Eu começo a construir a ponte.  Passam horas, dias ou meses. A ponte é feita. Excitado, eu o atravesso. E quando eu chego ao outro lado… eu descubro a parede. Uma gigantesca parede fria e úmida rodeia a cidade dos meus sonhos…

Eu me sinto abatido… Estou procurando uma entrada. Não há nenhuma. Eu tenho que escalar. A cidade está tão perto… Não permitirei que a parede impeça minha passagem.

Pretendo escalar. Eu repito alguns minutos e respiro… De repente, vejo, ao lado da estrada, uma criança que me olha como se ela me conhecesse. Ele me sorri com cumplicidade.

Isso me faz lembrar de mim mesmo… quando eu era criança.

Talvez por essa razão, eu encorajo você a expressar minha queixa em voz alta: – Por que tantos obstáculos entre mim e meu objetivo?

A criança encolhe os ombros e responde: – Por que você me pergunta?

Os obstáculos não estavam aqui antes de você chegar … Os obstáculos foram trazidos por você.”

Colocamos obstáculos, de certa forma, como proteção contra um possível fracasso. Eles são a desculpa, o “veja, eu te disse”, quando nossos piores medos são confirmados e caímos na estrada ou não conseguimos vencer o desafio em uma primeira tentativa.

Também colocamos obstáculos porque tememos a incerteza do que virá no próximo passo em direção ao nosso destino. Assim, preferimos nos refugiar à sombra do mal conhecido em vez de procurar o bem que devemos conhecer. Nós nos tornamos covardes derrotados por nossa própria imaginação, são nossas idéias que se tornam obstáculos antes da nossa passagem.

Portanto, acostumar sua mente a ver a realidade positiva. O sucesso é assegurado quando você se esforça, seja com a aprendizagem ou com a realização de sua própria conquista. Por outro lado, se você tropeçar novamente, procure a beleza escondida atrás de cada sombra, por trás de cada obstáculo, porque, como as estações, as pessoas têm a capacidade de mudar. Lembre-se que nesta vida sobrevive quem luta e se esforça, não quem olha com medo para o que pode vir.

E, acima de tudo, não duvide das suas habilidades. Viva a vida como você merece viver porque todos tropeçamos, mas não são os obstáculos que marcam a vida, mas a aprendizagem que obtemos deles. Continue andando e quando você se encontrar na frente do abismo, lembre-se que esse precipício que você coloca para cobrir seu caminho de dúvida se não é intransponível. E agora, você vai reclamar sobre os obstáculos que você colocou em sua vida, ou andar com um passo firme e sem medo lutando pelo que você quer?

Lorena Vara González

Disponível em:https://lamenteesmaravillosa.com/la-te-pones-los-obstaculos-los-nace-miedo/

 

 

%d blogueiros gostam disto: